Jessie J escreveu uma carta de amor à comunidade LGBTQ

Para celebrar o mês de orgulho PRIDE vários artistas escreveram cartas de amor à comunidade LGBTQ, leiam em baixo a carta escrita pela Jessie J.

O meu primeiro concerto oficial foi no clube Heaven em Londres. Tinha 17 ou 18 anos e estava aterrorizada. Estava a usar um catsuit de renda, com o meu cabelo penteado para trásnum mohawk, sapatos de stripper pretos e notas de música desenhadas no meu rosto. Low key (claro).

O palco estava no meio da pista de dança e a pessoa que me reservou parou a música (que estava a tocar) e anunciou-me. Ninguém tinha a mínima ideia de quem eu era. Ficaram em silêncio quando subi ao palco, a minha música explodiu e comecei a cantar “Mamma Knows Best”. Nunca esquecerei aquele momento. O amor e o apoio que me mostraram foram esmagadores e nunca pararam. Senti-me aceite, compreendida e respeitada. O sentimento era, e sempre será, mútuo.

No final do ano passado, pediram-me que fizesse uma atuação na OnePulse Gala para lembrar todas as pessoas bonitas que perderam a vida no terrível disparo em Orlando. Fiquei honrada e humilde ao descobrir que “Domino” era uma das canções mais solicitadas no clube, então cantei em honra e memória de todos.

Sinto-me lisonjeada e feliz por saber que a minha música consegue ajudar as pessoas a sentirem-se bem – tudo bem, serem amados e livres; Como deveriam.

O amor é amor e ninguém deve ser discriminado ou rotulado pelas escolhas que fazem ou pelo o que o seu coração sente. É a tua vida. Vive-a como queres viver e sê feliz. És tão especial. Amo e apoio todos vocês. Para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *